Macarons: 10 curiosidades sobre o doce francês


O macaron é feito com uma massa fininha e crocante de farinha de amêndoas e recheado com um cremoso ganache de chocolate. O doce francês tem conquistado o coração e o paladar dos brasileiros, principalmente daqueles que não dispensam um doce mais glamourizado! Na Kennedy você encontra uma variedade de sabores dessa irresistível invenção, a exemplo de pistache, frutas vermelhas, avelã entre outros. Confira 10 curiosidades sobre o macaron!

1- Em sua primeira versão, eles eram feitos com uma única bolachinha de merengue de amêndoas e não tinham sequer recheio.

2- Ao contrário do que muita gente imagina, o macaron não nasceu na França. A origem é da Itália, mais precisamente da Veneza renascentista. Porém o mundo só conheceu o macaron em sua versão atual no início do século XIX, quando o patisseur, Pierre Desfontaines (famosa Ladurée de Paris) uniu os dois pequenos discos, colocando cremes especiais entre eles.

3-  O macaron tem um museu só dele! Localizado na cidade de Montmorillon – Poitou-Charentes, departamento de Vienne

4- Apesar da popularidade ser recente no Brasil, eles existem há mais de 500 anos! E o melhor é que essa obra de arte é vendida na Kennedy! 

5- Os “canapés de macaron” são uma novidade. Fora do Brasil são apelidados de “macaron petit fours”. A base desse doce é feito com apenas um biscoito macaron, coberto delicadamente por um creme escolhido entre diversos sabores e finalizado com frutas vermelhas ou praliné de amêndoas.

7- Você sabia que a massa leva em sua preparação 39% de farinha de amêndoas?

8- A palavra macaron (pronuncia-se macarrôn) vem do termo italiano maccherone, que significa “massa fina”.

9- Para quem adora macarons e visita a cidade de Nancy, é obrigatória uma passagem pela Maison des Soeurs Macarons, casa fundada em 1793. É um dos poucos lugares onde se pode apreciar a receita original: rústica, com apenas um biscoito, crocante, à base de merengue e amêndoas. E para quem visita a região do grande ABC não pode deixar de provar essa maravilha na Kennedy!

10- Os macarons não são muito difíceis de encontrar no mundo atualmente. No entanto, o chef francês Pierre Herme, preparou um novo e mais caro tipo de macarons do mundo. O “Haute Couture” custa US $7.414. É mole?



Conheça 4 curiosidades sobre os tradicionais alimentos da sua ceia de Natal


Você sabia que a Ceia de Natal se originou em um antigo costume europeu? As famílias deixavam as portas das casas abertas no dia de Natal para receber viajantes e peregrinos, esses juntamente com a família hospedeira, confraternizavam aquela data significativa para os cristãos. Para essa comemoração eram preparados  diversos pratos e essa tradição foi se espalhando pelo mundo e em cada região  acrescentava uma particularidade local, como a adição do peru na ceia norte-americana, peculiaridade  que logo passou a fazer parte dos costumes de outros países,como no Brasil.

Mesmo com todas as adversidades que enfrentamos mundialmente neste ano de  2020, ainda devemos manter vivo o espírito natalino. E assim desfrutar junto à família de uma mesa farta de comidas típicas desta época. Trouxemos aqui alguns pratos que não podem faltar na sua ceia de Natal e um pouco de suas histórias. E claro, que todos eles você pode encontrar,aqui,na Kennedy! Já que preparamos um menu natalino delicioso com um toque muito especial!

  • Rabanada

Essa delícia típica foi criada através da necessidade do reaproveitamento do pão amanhecido, que curioso né? Mas, devemos lembrar que os da Kennedy são feitos com pães fresquinhos e deliciosamente crocantes. Outra curiosidade é que essa delícia também era chamada de “fatias de parida”, a expressão surgiu de uma história que conta que esse doce aumentava a produção de leite das novas mamães. Já pensou?

Rabanadas Kennedy
  • Peru

A tradição de comer peru no Natal surgiu em Massachusetts (EUA), a ave era servida no Dia de Ação de Graças e assim foi levada pelos espanhóis para a Europa no século XVI, tornando-se símbolo de alimento das grandes ocasiões. O Natal sendo um desses grandes eventos pede um peru também especial, não é mesmo? Aqui vai uma dica: A versão de Peru da Kennedy é especialmente preparada, já que é  feita com manteiga de ervas e farofa. 

Peru Kennedy
  • Panetone

Já a origem do  panetone tem suas raízes em Milão, na Itália. Lá, ele era servido em ocasiões também especiais, já que fazer o tal pão de frutas dava muito trabalho. Mas, claro, tudo que é feito com dedicação resulta em algo mais do que especial e assim acontece com as versões de panetones e chocotones da Kennedy, que contam além da versão  tradicional como os especiais a exemplo do Panetone Red com gotas de chocolate.Ele é tão delicioso quanto belo e faz um sucesso enorme!

Panetone Red Kennedy
  • Bacalhau

Durante as principais festas católicas portuguesas, inclusive o Natal, o jejum implicava em não comer nenhum tipo de carne. Por esse motivo as populações portuguesas começaram a comer bacalhau. A cultura foi introduzida no Brasil pelos nossos colonizadores. Bacana, né? Pois aqui também temos um delicioso bacalhau ao forno.

Nosso cardápio de Natal está recheado de opções para sua ceia em família! Quer saber mais sobre e encomendar a sua? Então clica aqui! 


Panificadora Kennedy é eleita como uma das melhores padarias do Brasil

Esta é mais uma de muitas premiações já recebidas, sendo  motivo de orgulho e comemoração entre funcionários e clientes

A Panificadora Kennedy ganha mais uma vez o prêmio de “Melhores Padarias do Brasil” realizado pela Revista Panificação Brasileira. Ela possui um editorial focado em tendências, conceitos, padarias artesanais entre outros. O prêmio reconhece o trabalho fantástico desenvolvido pelas padarias de todo o país. Gestão, inovação, dedicação e boas práticas são quesitos de avaliação. Além de serem exaltados no evento que conta com a presença dos responsáveis pelos estabelecimentos premiados.

As padarias premiadas foram indicadas pelos fornecedores do setor de panificação e confeitaria.

Esses eram os critérios de avaliação:

Mix de produtos, atendimento, ambientação, higiene e segurança no trabalho, nível de conservação dos equipamentos, uso de controles de produção, nível de informatização e grau de treinamento dos funcionários.

Entidades como ABIEPAN, ABIP e o ITAL , apoiam ao evento.

Orgulhosa em colecionar mais uma premiação. A diretora Christiane Franzese David, explica que o prêmio é uma forma de valorizar o estabelecimento e o trabalho dedicado de todos. Que é feito com prazer e seriedade há mais de 40 anos.

“A Kennedy é uma referência em termos de gastronomia e panificação em São Bernardo. Hoje, se você fala em panificadora, o primeiro nome lembrado é a Kennedy, ficamos muito felizes com todo esse reconhecimento”, finaliza a diretora do estabelecimento.

O Prêmio das 100 Melhores Padarias do Brasil traz mais uma vez outros fatores que englobam as novas categorias de padarias: empórios, road bakery (padarias de estrada), supermercado e hortifruti.

Também são premiados diversos profissionais da panificação, nas categorias:

  • PADEIRO DESTAQUE
  • PADEIRO REVELAÇÃO
  • PADEIRO TRADIÇÃO
  • PADEIRO DO ANO

Dia Mundial do Pão: Panificadora Kennedy apresenta 6 fatos marcantes sobre o alimento na história

O pão é um ítem que não costuma faltar na mesa do brasileiro. Está presente desde o café da manhã até o jantar. E não é só no Brasil que esse clássico conquistou um lugar especial, você já ouviu falar da história do pão? E onde ele é mais consumido? Descubra aqui 5 fatos marcantes sobre esse alimento.

1 – Surgimento

Diversos relatos apontam que a “invenção” do pão ocorreu cerca de 12 mil anos atrás, na Mesopotâmia, atual Iraque. Isso aconteceu na mesma época em que o trigo começou a ser cultivado lá. Os primeiros pães não se pareciam com os de hoje. Não possuíam forma, eram achatados, duros e secos. Necessitando de imersão em água quente diversas vezes antes de seu consumo. 

2 – Primeira Padaria da História

Segundo historiadores, a primeira padaria do mundo foi criada no Egito, na cidade de Gizé, aproximadamente em 3.000 antes de Cristo. Estudos apontam que, naquela época, era muito comum utilizar o pão como salário, por exemplo, um dia de trabalho = 3 pães.

3 – O Primeiro Pão a Ser Assado no Forno

O primeiro registro de pão assado também foi no Egito, eles utilizavam forno de barro e tudo isso ocorreu em 7.000 A.C. O fermento também passou a ser utilizado nesse mesmo período, e os pães começaram a ficar mais parecidos com o que conhecemos hoje. 

4 – A Difusão do Pão

O pão chegou à Europa e começou a ser comercializado nas padarias. Mas devido a crise provocada pela queda do império romano, todos os estabelecimentos deste setor fecharam as portas, obrigando os consumidores a prepararem seu próprio pão em casa. Depois, no século XVII a França começou a aprimorar a receita original, dando origem a vários tipos de pães e passou a ser destaque mundial neste ramo.

5 – A Chegada do Pão no Brasil

Sabe-se que foram os portugueses que o trouxeram para o Brasil na época da colonização, mas o pão só começou a ser popular só começou a se popularizar a partir o século XIX, com a ajuda de diversos italianos. 

As primeiras padarias brasileiras foram abertas em Minas Gerais, logo após em São Paulo e no Rio de Janeiro. Nesse período, o pão era bem escuro e diferente do que conhecemos hoje, mesmo com o uso do fermento.